Construindo relacionamentos fortes

relacionamentos fortes

Antes de continuar lendo esse artigo, responda a seguinte pergunta: por que você busca (ou buscava) um relacionamento afetivo?

Já ouvi de tudo como resposta, de segurança financeira a compartilhamento de vida, de ter alguém com quem se pode ser autêntico a ser uma imposição da sociedade. Independente das razões, a verdade é que a evolução ajustou nosso comportamento para sermos prioritariamente monogâmicos, ainda que o “para sempre” tenha sido substituído por enquanto ambos quiserem”.

Até aí tudo bem. E estaria tudo perfeito, não fosse o fato normal que um quer e outro não, um se esforça e outro não, e ambos trazem para o relacionamento um conjunto de expectativas que nem sempre se concretizam. Esperamos encontrar, amar e ficar com uma única pessoa perfeita para nós enquanto vivermos, esperamos que o amor suporte qualquer situação por si só. E, principalmente, esperamos que esse mesmo amor compense outros amores e relacionamentos que estão enfraquecidos, talvez começando pelo nosso amor próprio. 

Antes de falar como melhorar, precisamos aprender a reconhecer um relacionamento frágil e com mais chances de acabar. Segundo John Gottman, isso se dá através da maneira como os parceiros resolvem seus conflitos.  Ele identificou o que chama de “Cavaleiros do Apocalipse”, as reações e comportamentos que, quando constantes, levam ao final de um relacionamento. São elas:

  1. Criticismo: Sabe aquela crítica destrutiva, escolhida a dedo para destruir a autoestima e a autoconfiança? Direcionada não a um acontecimento específico, mas a pessoa em si, sua identidade? É o “você sempre (ou nunca) faz isso…”.   
  2. Desprezo: É aquele comentário irônico, a zombaria a respeito da capacidade do parceiro ou qualquer característica. Esse talvez seja o maior veneno para uma relação saudável.
  3. Defensividade: Colocar-se na posição de vítima, transferindo toda a responsabilidade de uma crise para o parceiro, sem fazer um esforço para resolver a questão.
  4. Obstrução: Quando um dos parceiros simplesmente se retira da discussão, e não responde mais, muitas vezes por longos períodos, semanas até.

Mas reconhecer a maneira como agimos e como ela pode boicotar o relacionamento é só a primeira parte. Depois que o relacionamento já ficou ruim, é difícil até lembrar de situações felizes ou daquilo que você admira e gosta na outra pessoa. Passamos a nos isolar, evitamos buscar soluções para os problemas, só enxergamos as dificuldades e eventualmente desistimos.

É necessário um bocado de dedicação para construir uma parceria forte e de longo prazo, por isso que os pilares que sustentam qualquer relacionamento são confiança e comprometimento. E para completar a construção dessa parceria tenho as seguintes dicas, que, reforço, valem apenas quando os dois se comprometem: 

  1. Conheça bem seu parceiro, os sonhos, os medos, os momentos marcantes da vida, seus objetivos imediatos. Só dessa maneira pode valorizar e manter essa pessoa como sua prioridade. 
  2. Perspectiva positiva: o que você admira, o que faz de seu parceiro um ser único e especial. A vida em conjunto sempre vai exigir um grau de compartilhamento das decisões e se deixar influenciar pelo parceiro é sempre fundamental. 
  3. Gerenciar conflitos e não deixar que eles desgastem os pilares da confiança e comprometimento. Inicie as discussões sempre de maneira sutil, trazendo calmamente seus sentimentos. Aceitem a influência um do outro, permita que a discussão esfrie (dando pausas se necessário), mas nunca deixem de se comunicar. 
  4. Sejam suportes para que seus parceiros alcancem seus sonhos.  
  5. Tenham um propósito em comum que estará sempre como pano de fundo. Isso constrói resiliência para o relacionamento. 
  6. Mensurar a quantidade de tempo juntos é fundamental! Apenas entre o casal. Estudos colocam em 5 horas semanais esse tempo, ou seja, encontrem formas de fazer programas só entre vocês, mesmo que seja assistir um filme na TV ou no Netflix

Em um relacionamento saudável, os conflitos e problemas também acontecem, mas são tratados de maneira mais respeitosa e propositiva. Precisamos entender que nos unimos a alguém é só o primeiro passo de uma vida conjunta, e o trabalho de evolução deve ser mútuo e constante.

Ao mesmo tempo, relacionamentos são uma das bases mais importantes para nosso bem estar mental e emocional, nos dando segurança psicológica para alcançar tudo o que quisermos ser. Invista em quem é especial, mas lembre-se que todas essas dicas valem também quando o relacionamento é com você mesmo. 😉

Site Footer

Sliding Sidebar

ROSANE SAMPAIO

ROSANE SAMPAIO

Especialista em coaching pessoal, profissional, executivo e de equipes. Palestrante, analista comportamental e hipnoterapeuta, com qualificação de practitioner em Programação Neurolinguística.