Não interessa o que aconteceu: você sempre tem o direito de começar de novo

Todos temos o direito de recomeçar. Mas esse recomeço precisa vir de dentro.

Existem algumas frases prontas que ouvimos de pessoas próximas tentando ajudar quando algo em nossa vida dá muito errado: ‘Ninguém é infalível’; ‘O mundo não é perfeito’; ‘não deu certo porque não tinha que dar’. Pode ser que frases desse tipo só aumentem o incômodo, a irritação e passem pela sua mente várias frases (muito menos polidas) para serem usadas como resposta. Mas se a tristeza estiver muito profunda, podemos nem ter forças para pensar em uma resposta, apenas desistimos e passamos a acreditar que uma vida plena não é para nós. 

É aí que está o problema! 

Vamos admitir: nem tudo na vida vai dar certo. Relacionamentos terminam, pessoas se vão, empresas quebram… situações ruins simplesmente acontecem e, às vezes, se repetem. Pode ser que sejamos os responsáveis (total ou parcialmente) por essas situações, pode ser que elas tenham acontecido independente de qualquer ação de nossa parte. Mas os fatos e como nós os processamos e registramos em nossa mente consciente e inconsciente são duas coisas diferentes. Depende da maneira que fazemos esse processamento aprender as lições, desenvolver resiliência, superar os desafios e ser simplesmente feliz, apesar de tudo.  

Acreditar que tem o direito de recomeçar, de viver novamente as experiências que desejamos, envolve desenvolver algumas habilidades mentais que fazem toda a diferença em nossas vidas. Algumas dessas habilidades são:

  • Autocompaixão: É o desejo genuíno que deixemos de sofrer e sejamos felizes. É muito mais fácil sentir compaixão por pessoas que queremos bem do que por nós mesmos. Tendemos a ser duros conosco, não nos permitimos errar, temos dificuldade em nos perdoar. Mas pense em quanto tempo faz que você aprendeu a andar ou mesmo a falar e quantas vezes ainda tropeça, quantas palavras ainda não conhece. Entender e aceitar que estamos em um contínuo processo de evolução com altos e baixos pode ajudar a aceitar nossas limitações e superá-las.
  • Autoconfiança: Se há uma característica fácil de se perder é essa. Basta algumas experiências de vida darem errado, que logo vamos perdendo toda a crença em nossa capacidade de criar soluções para os problemas, e mesmo em nossa capacidade de gerenciar o dia a dia. Se não confiamos em nós mesmos, como esperar que outros confiem? Sem autoconfiança, acabamos perdendo também nossa autoestima. Podemos reconstruir autoconfiança de maneira simples, primeiro com pequenos compromissos e desafios que podem até ser fáceis de superar, mas que, se forem ampliados gradativamente, resultam em uma espiral de confiança.
  • Resiliência: É a capacidade de voltar ao seu estado natural, principalmente após alguma situação crítica e fora do comum. A pessoa resiliente lida com problemas, adapta-se a mudanças, supera obstáculos ou resiste à pressão de situações adversas. Mas o mais importante é que cresce com as situações negativas, evolui após as crises. Resiliência pode ser desenvolvida acolhendo a situação negativa e assumindo a responsabilidade por encontrar soluções e fazer as escolhas necessárias para superá-la. Mesmo que, para isso, sua vida precise mudar e se ajustar.
  • Coragem: Podemos entender coragem como uma virtude que inclui honestidade, bravura, perseverança e vitalidade. Implica em encarar as adversidades internas e externas e ir em busca de seus sonhos, lutar pelos seus desejos. Não é fazer loucuras, mas se arriscar dentro do que você sabe que é capaz de ser e fazer de melhor. Mas, muitas vezes, é um ato de fé em si mesmo e nas possibilidades positivas que o mundo nos traz.
  • Lidar com as frustrações: todos nós nos frustramos inúmeras vezes, e é fácil cair na tentação de desistir, jogar as responsabilidades pelos erros e situações negativas nos outros. Aprender a lidar com os nossos próprios erros, entender quais são nossos gatilhos mentais de medo, ansiedade, estresse e descobrir o que nos move em direção aos objetivos ou nos trava é primordial para aprender também a lidar com os obstáculos que geram as frustrações.

Acredite que você tem o direito de começar de novo. Exige trabalho e persistência, mas principalmente exige amar a si mesmo e saber que você é merecedor de tudo de bom na sua vida. O primeiro passo você já deu, lendo o artigo, agora vamos colocar em prática? 😉

Site Footer

Sliding Sidebar

ROSANE SAMPAIO

ROSANE SAMPAIO

Especialista em coaching pessoal, profissional, executivo e de equipes. Palestrante, analista comportamental e hipnoterapeuta, com qualificação de practitioner em Programação Neurolinguística.