Você gosta de quem você é?

Essa pergunta nada tem a ver com o seu tipo físico, corte de cabelo ou estilo de roupa. Essa pergunta é sobre seu ser, a sua essência. 

Quando crianças, temos uma inteligência a respeito de nós mesmos que parece que vai “emburrecendo” à medida que crescemos. Não temos medo de ser quem realmente somos, não nos preocupamos em agradar a ninguém, apenas a nós mesmos.

Infelizmente, com o tempo, vamos sendo ensinados que essa é uma atitude errada, que devemos sempre colocar os outros em primeiro lugar, mesmo que seja à custa de sacrifícios pessoais. Muitas vezes, essa aprendizagem vem até na forma de cobrança a respeito de nossos comportamentos, visto que tantas pessoas também fazem o mesmo por nós. E vamos ser justos aqui: a maioria dos pais não ensina isso visando o mal dos filhos, mas porque também foram ensinados assim. Mas a verdade é que, com o tempo, a criança vai enterrando sua essência bem lá no fundo, onde, muitas vezes, nem ela mesma consegue encontrar depois que cresce.

Então chega um momento em que nós simplesmente começamos a cansar de ser o que (pretensamente) somos. E nem entendemos bem o porquê desse cansaço. Acreditamos que é estresse, ou que a vida é difícil mesmo (alguém certamente já nos tinha alertado sobre isso quando éramos crianças), ou que simplesmente não somos bons o suficiente, não temos inteligência ou talento suficiente. Não nos reconhecemos, não sabemos quem somos na essência.

Já percebeu que, quando as pessoas perguntam quem somos tendemos a responder com nossa profissão, um hobby ou nossa condição de pais de alguém, ou qualquer outra descrição do que fazemos. Mas não respondemos com as qualidades que fazem cada um de nós único e especial… até porque, as vezes, nem sabemos quais são essas qualidades.

Uma maneira de descobrir em que somos especiais é relembrar e listar em uma folha tudo aquilo que fizemos ou fazemos com um propósito, com um objetivo bem definido. A seguir, escreva as razões que justificavam aquele objetivo e porque era importante alcançá-lo, o que ele significava de especial.

Avalie depois apenas os significados, as razões das suas ações e você vai entender o que realmente te move para prosperidade, tanto a financeira quanto a emocional. E aproveitando a mesma lista inicial, adicione as qualidades que você tem e que foram necessárias ou ajudaram para que você alcançasse o objetivo esperado.  

Feita essa lista, reflita se tudo isso que você escreveu sobre si mesmo te agrada, faz sentido, mostra como você é único e especial. Pergunte-se se você se apaixonaria por você mesmo, gostaria de viver com alguém como você. Se a resposta for sim, parabéns, você acima de tudo respeitou seu verdadeiro eu, e isso é mais do que muita gente consegue fazer. 😉

Site Footer

Sliding Sidebar

ROSANE SAMPAIO

ROSANE SAMPAIO

Especialista em coaching pessoal, profissional, executivo e de equipes. Palestrante, analista comportamental e hipnoterapeuta, com qualificação de practitioner em Programação Neurolinguística.