Observe, não absorva

A vida não é perfeita. Às vezes, são situações inesperadas e difíceis; às vezes, pessoas próximas que tomam atitudes que não achamos certas. E pode ser que a gente tenha razão, pode ser que não. A verdade é que, inconscientemente, acreditamos que sabemos o que é melhor. E daí, quando o mundo e as pessoas não agem conforme as nossas crenças, sem nem percebermos, reagimos como se estivéssemos sendo diretamente atacados, deixamos nossas emoções explodirem dentro de nós… e algumas vezes para fora de nós também.

Mas vamos admitir, nem tudo precisa do seu espanto. Nem tudo precisa do seu susto, nem do seu show, ou do seu drama, da sua reação. Nem tudo precisa da sua atenção, nem tudo precisa (ou merece) ser compartilhado, nem tudo precisa da sua tristeza, ou da sua euforia. Nem tudo precisa que você perca o sono, que você surte, que você se envolva, muitas vezes até abrindo mão de seu sossego e da sua saúde por estressar-se com o que não seria necessário.

E isso só acontece porque ninguém nos ensinou como observar as situações com calma, aprendendo a avaliar mais racionalmente qual o nível de importância e urgência necessárias para lidar com aquilo — ou simplesmente nos darmos ao luxo de não lidar com aquilo. Apenas estando em seu estado de equilíbrio você terá acesso a todas suas qualidades, habilidades e inteligência que resolvem a situação. 

Pode parecer estranho, mas o primeiro passo é acolher a situação por mais absurda que seja. Acolher não é “engolir” qualquer aberração, é analisar se você pode mudar a situação, perguntar a si mesmo por que você quer ou precisa se envolver no que está acontecendo e, principalmente, se você deveria estar envolvido. 

Escolha uma técnica para restabelecer seu equilíbrio mental: pode ser uma série de respirações profundas, mais foco e concentração no aqui-agora, ou meditação. Faça afirmações silenciosas, por exemplo: “Eu estou em paz e equilíbrio e aprendo com situações desafiadoras.” Observe em quais situações você perde o controle, quais pessoas estão envolvidas, em qual o ambiente isso acontece, qual a emoção e os sentimentos envolvidos. Será que essas emoções estão realmente de acordo com a situação ou são exageradas?  

Aprenda, com o passar do tempo, quando você será capaz de passar pelo fogo e não se queimar. Nem todo fogo carece da sua atenção! Avalie quando você não precisará mais se envolver nos conflitos, situações e questões que você não pode resolver. Saiba distinguir momentos em que você não precisa dispender seu tempo ou sua energia.

Compreenda que é melhor estar em paz do que ser uma esponja, que absorve tudo. Deixe entrar somente o que for realmente importante, não dê atenção para o que não merece, e viva com muito mais serenidade. 😉

Site Footer

Sliding Sidebar

ROSANE SAMPAIO

ROSANE SAMPAIO

Especialista em coaching pessoal, profissional, executivo e de equipes. Palestrante, analista comportamental e hipnoterapeuta, com qualificação de practitioner em Programação Neurolinguística.