Burnout: você sabe se tem?

Quando essa cliente chegou, estava à beira de um Burnout, sentindo que a realidade em que vivia estava desmoronando. Veio indicada, buscando uma solução para sua descrença na própria capacidade de terminar projetos, procrastinação e dificuldade de tomar decisões.

Para piorar a situação, sua sociedade de trabalho foi rompida pelo outro sócio, que usou como argumento justamente a incapacidade dela para terminar rapidamente os projetos. O relacionamento amoroso também não era feliz, ela se sentia sempre sendo analisada e julgada negativamente.

Segundo a própria descrição, sem conseguir ficar satisfeita com seu trabalho, sem conseguir decidir a melhor maneira de focar um projeto, ela simplesmente não terminava nada. Parava na metade ou nem mesmo começava. Se distraía com uma série na TV, dormia, inventava outras coisas para fazer, mas que também eram interrompidas na metade. Ela tomava antidepressivos e tinha feito terapia, mas estava cansada de continuar sempre na mesma. Mais ainda, estava simplesmente cansada de tudo.

Segundo o Ministério da Saúde, Síndrome do Burnout, ou Síndrome do Esgotamento Profissional, é um estado físico, emocional e mental de exaustão extrema, resultado do acúmulo excessivo em situações de trabalho que são emocionalmente exigentes e/ou estressantes, que demandam muita competitividade ou responsabilidade. O ambiente de trabalho e de vida ficam tão estressantes que a pessoa passa a acreditar que não tem as capacidades necessárias para superar seus desafios.

Eventualmente, a Síndrome de Burnout pode levar a um quadro de depressão profunda, uma vez que a pessoa não se sente realizada em nada do que faz. Entre os sintomas mais frequentes estão sentimentos de desesperança, incapacidade e fracasso. Os pensamentos se tornam sempre negativos, fica difícil se concentrar em uma tarefa e quase impossível terminá-la, uma sensação de cansaço mental que dá vontade de ficar simplesmente calado e quieto. Eu reconheci os sintomas pois também já tinha passado por isso.

Existem muitas ações que você pode tomar para reverter o Burnout; as mais óbvias sendo separar um momento do dia para atividade física (que gerem endorfinas, preferencialmente), se dedicar a algum hobbie, ter momentos de lazer e relaxamento na semana. Você também pode ajustar as metas no trabalho, se possível.

Mas, que fique claro: não adianta fazer tudo isso, se não ajustar junto suas crenças a respeito de si mesmo e do mundo ao seu redor. Uma das características que mais chamam a atenção em quem está nesse estado de esgotamento é a certeza da própria incapacidade de alcançar resultados. É a certeza da dúvida em si mesmo. As frases que a cliente mais usava eram: ‘não sei o que fazer’, ‘não consigo tomar nenhuma decisão’, ‘não tenho foco e sou incapaz de terminar um trabalho’.

A Programação Neurolinguística pode ajudar de muitas maneiras, assim como a hipnoterapia. Em um primeiro momento do tratamento, trazemos à tona os inúmeros momentos em que você já superou desafios, revivendo esses momentos em termos de sensações, pensamentos e diálogos internos que possibilitaram essas superações. Vamos buscar dentro da sua mente todos os seus recursos internos, que são as características e habilidades que você já tem, e que vão possibilitar superar mais essa situação.

A hipnoterapia ajuda tanto no uso desses recursos internos em todas circunstâncias quanto para trazer para a mente consciente situações e eventos que podem ter, eventualmente, desencadeado a Síndrome do Burnout.

Mas tenho também 3 dicas pessoais se você está passando por isso:

  1. Se não está conseguindo terminar suas tarefas: escolha algo lúdico, como um trabalho manual ou um quebra-cabeça, e se proponha um prazo para terminar. Também vai ajudar a ter mais foco.
  2. Tome pequenas decisões, as mais fáceis. Não diga ‘tanto faz’ quando perguntam em que restaurante você quer ir. Pode parecer tolo, mas nosso subconsciente generaliza seus aprendizados e quanto mais pequenas decisões você toma, mais segurança terá para as grandes decisões.
  3. Medite. Pode ser uma meditação guiada que você encontra no Youtube, pode ser em uma aula, ou até repetindo um mantra ou oração. A meditação desenvolve foco, ensina você a se colocar na posição de observador e dá perspectivas diferentes sobre qualquer situação. Isso sem falar de todos os benefícios físicos de redução dos hormônios relacionados ao stress.

O Burnout pode evoluir para situações físicas e mentais bem mais graves se não trabalhado. Eventualmente pode afetar toda sua vida pessoal e profissional. Não se envergonhe, procure ajuda e sinta-se mais confiante, feliz e realizado. 🙂

Site Footer

Sliding Sidebar

ROSANE SAMPAIO

ROSANE SAMPAIO

Especialista em coaching pessoal, profissional, executivo e de equipes. Palestrante, analista comportamental e hipnoterapeuta, com qualificação de practitioner em Programação Neurolinguística.