Lidando melhor com as emoções

Tive um cliente que era excelente em sua área de trabalho. Ele era bem visto por todos, inclusive por seus gerentes, que reconheciam seu potencial com clientes. O problema é que, toda vez que o rapaz era chamado para a avaliação de um treinamento junto aos seus superiores na empresa, ele simplesmente travava e não conseguia controlar suas emoções.

Enquanto ele descrevia para mim o ocorrido, seus ombros encolhiam, abraçava a barriga, olhava de baixo para cima e novamente para baixo, e cada gesto evidenciava suas emoções. Para quem trabalha com PNL, o movimento dos olhos que citei é uma dica do que está acontecendo na mente: é a criação e ampliação das emoções negativas. Muitas vezes não é a falta de reação, mas sim, a reação sem raciocínio. À medida que as emoções se tornam sensações físicas intensas, é fácil amplificar esse estado mental.

emoções

Observar exatamente os pensamentos que desencadeiam a construção do estado mental indesejado é o primeiro passo. Eles são representados na forma de imagens, sons, sensações e diálogos internos. O cliente começava com a imagem de outros momentos parecidos e sua sensação naquelas ocasiões. Depois, falava para si mesmo que daria tudo errado novamente.

A dica é perceber como o pensamento inicial acontece e desconstruí-lo. Se ele aparece na forma de imagens, tipo um filme ou fotografia, distancie essa imagem mental até que ela fique pequena e desfocada. Como em um filme antigo, deixe que ela fique esbranquiçada até sumir.

Para diálogos internos e sons, grave no seu celular aquilo que “ouve” e use um aplicativo que distorce sons para ouvir tudo de forma engraçada, trazendo perspectiva daquilo que se fala internamente.

Se antes de qualquer outra forma de representação você tem sentimentos negativos, faça uma atividade física ou artística que seja agradável. Caminhe para algum lugar, faça pinturas ou dance uma música que te lembre de bons momentos.

Também é importante entender o que essa reação está fazendo por você e como esse estado limitante está atendendo a um valor ou necessidade. Para descobrir, se pergunte o motivo do comportamento limitante e, na sequência, questione cada uma de suas respostas até chegar em algo que é muito importante para você.

 

 

Site Footer

Sliding Sidebar

ROSANE SAMPAIO

ROSANE SAMPAIO

Especialista em coaching pessoal, profissional, executivo e de equipes. Palestrante, analista comportamental e hipnoterapeuta, com qualificação de practitioner em Programação Neurolinguística.